Intervenção Precoce

Print Friendly, PDF & Email

Intervenção Precoce na Infância

A APCV tem acordo de cooperação para a Intervenção Precoce na Infância (IPI), desde 2007, ao abrigo do Despacho-Conjunto nº 891/99 de 19/10, para os Concelhos de Viseu, Castro Daire, Carregal do Sal, Santa Comba Dão e Mortágua.

Em Outubro de 2010, foi renovado o acordo de cooperação com o Instituto de Segurança Social, IP, sendo implementadas algumas alterações na resposta social decorrentes do Decreto-Lei 281/2009 de 6 de Outubro.

A resposta social é desenvolvida por uma Técnica de Serviço Social, uma Psicóloga e uma Terapeuta Ocupacional, em estreita articulação e, num trabalho transdisciplinar, com as Equipas Locais de Intervenção (ELI’s) de Viseu, Castro Daire e Santa Comba Dão (esta ultima abrange os concelhos de Santa Comba Dão, Carregal do Sal e Mortágua),

Estas ELI’s são pluridisciplinares e assentam em parcerias institucionais, integrando representantes dos Ministérios do Trabalho e da Solidariedade Social (Técnicas de Serviço Social do ISS, IP – Centro Distrital de Viseu), da Saúde (Enfermeiras e Médicas), da Educação (Educadoras de Infância) e, em alguns concelhos, por profissionais das Autarquias Locais (Técnicas de Serviço Social e/ou Psicólogas).

  • O que é a Intervenção Precoce na Infância?

É um “conjunto de medidas de apoio integrado centrado na criança e na família, incluindo acções de natureza preventiva e reabilitativa, designadamente no âmbito da educação, da saúde e da acção social.” (Decreto-lei n.º 281/2009, de 6 de Outubro)

  • A quem se destina?

A resposta social destina-se a crianças, entre os 0 e os 6 anos de idade, com alterações nas funções ou estruturas do corpo que limitam a participação nas actividades típicas para a respectiva idade e contexto social ou com risco grave de atraso de desenvolvimento, bem como as suas famílias.

  • Qual a área de intervenção?

Concelhos de Viseu, Castro Daire, Carregal do Sal, Santa Comba Dão e Mortágua.

  • Quais os objectivos?

– Assegurar às crianças a protecção dos seus direitos e desenvolvimento das suas capacidades;

– Capacitar as famílias de modo a que estas tenham um papel activo na promoção do desenvolvim

ento dos seus filhos;

 – Intervir em função das necessidades e do contexto familiar de cada criança, de modo a prevenir ou reduzir os riscos de atraso de desenvolvimento;

 – Promover a sensibilização e envolvimento da Comunidade numa perspectiva de plena participação da criança e da família.

  • Locais de intervenção:

A intervenção é realizada nos contextos de vida da criança e sua família (ex: Domicilio, Ama, Creche, Jardim-de-Infância, …)

  • Sede das ELI’s:

As ELIs estão sediadas nos Centros de Saúde de cada concelho.

Arquivo de Notícas
Notícias
Página no Facebook